Ter uma escrivaninha linda como essa nunca foi tão fácil. O projeto consiste em um móvel construído com uma tábua de MDF, com um lado preso na parede e o outro posicionado sobre a estrutura de caixas. A estrutura montada com as caixas segue o mesmo princípio do projeto anterior, agrupando as caixas e prendendo-as entre si com a ajuda da parafusadeira. Os nichos maiores são formados por quatro caixas grandes unidas e posicionadas umas sobre as outras, já as caixas menores foram posicionadas para arrematar a composição como se fossem "gavetas".
Para um revestimento na vertical, são apenas necessárias ripas na horizontal; para um revestimento na horizontal, apenas são necessárias ripas na vertical. O espaçamento entre ripas não é muito importante, excepto se quiser junções escalonadas em filas alternadas de tábuas, pelo que, nesse caso, deve ter cuidado para que a ripa fique por baixo de cada junção para permitir a fixação. Pode também colocar as tábuas na diagonal, o que não é muito difícil, mas será melhor não complicar muito e usar apenas ângulos de 45°. Isto pode ser feito com várias e bem conhecidas configurações. As uniões de tábuas de macho e fêmea e em V são geralmente referidas como MFV, sendo um tamanho comum de cerca de 9 x 100 mm; com a perda da parte macho no encaixe, cada tábua cobre uma área de cerca de 90 mm de largura. Estão disponíveis vários perfis decorativos. A respiga com encosto é normalmente mais pesada. Um tamanho típico é de 12×121 mm, sendo a real cobertura de cerca de 110 mm. O MFV é normalmente fixo através de pregos escondidos.
Por mais que a gente goste da casa em que mora, é normal de vez em quando bater aquela vontade de mexer em alguma coisinha da decoração para dar novos ares ao lugar. E nem precisa ser no esquema extremo daqueles programas de TV que põem os cômodos abaixo! Muitas vezes, um quadro, um arranjo de plantas e mesmo um capacho reformado já são suficientes para dar o sopro de novidade de que você tanto precisa.
O PS Madeira quer saber quando foi efectuada a última actualização dos planos de segurança dos museus e as medidas que estão a ser tomadas nas áreas da prevenção e gestão de risco na salvaguarda do património. Os socialistas deram entrada na Assembleia Regional a um conjunto de perguntas dirigidas a Paula Cabaço, secretária regional do Turismo e Cultura, relativamente a esta área.
×