Tags: como decorar sua casa, como fazer, como reaproveitar palete, como usar sobras de madeira, cursos, decoração, decoração com palete, design com sobras de madeira, DIY, estante com sobra de madeira, faça você mesmo, madeira usada, marcenaria, mesa com sobra de madeira, móveis com palete, móveis com pinus, móvel fácil, móvel usado, oficina, Oficina de casa, palete, peças com retalhos de madeira, reaproveitamento de madeira, retalhos de madeira, sobras de madeira, sobras de palete
Caso você saiba manusear as peças de madeira que pretende utilizar para seu armário, lembre-se da necessidade de contar com cavaletes e serrinha. Outro ponto importante é quanto às furações, que deverão ser cuidadosamente distribuídas para que a montagem seja a mais eficiente o possível. Lembre-se de sempre consultar o plano que decidiu seguir. Essencialmente, nesta fase, você precisará de martelo, furadeira e chave de fenda. 
Hoy les traigo los planos de una casa bastante angosta, unos 6,5 metros de ancho, pero que nos brinda todo lo que puede necesitar una familia de cuatro o cinco integrantes, incluyendo dos baños, galería al frente y habitaciones separadas. En la planta baja, al frente, tenemos el porch tipo galería, ideal para descansar por … Sigue leyendo Casa angosta de dos plantas, tres dormitorios y 81 metros cuadrados
O “faça você mesmo” é uma prática que consiste em botar a mão na massa para fazer aquilo que talvez pareça possível só nas mãos de um profissional especializado. Nesse contexto, o que permite agora que possamos restaurar, modificar e criar coisas de toda ordem são as inúmeras ferramentas, facilidades e a disponibilização de conteúdo informativo capaz de nos capacitar para realização de diversas atividades. Para alguns, trocar uma lâmpada, pendurar um quadro e até fazer perfurações para instalação de objetos na parede pode ser uma coisa simples. Para outros, isso tudo pode ser uma tarefa impossível e que certamente terá um resultado negativo. O conceito de faça você mesmo revê essa percepção dando condições e atalhos para que qualquer um possa resolver questões que vão da troca de uma lâmpada até o esforço de criar texturas e formas diferentes nas paredes. Essas pequenas obras podem acontecer em ambientes internos e externos tendo um caráter estrutural, que é o caso quando algum espaço sofre alguma modificação. A restauração de superfícies para que possam receber pintura, aplicação de molduras, acabamentos e certas intervenções são alguns exemplos de modificações mais estruturais. Outro tipo de atividade pode ser aquela que não interfere diretamente em algum cômodo ou área específicos, mas que cria ou modifica objetos e estruturas presentes nesses espaços. Um material que simboliza muito bem a ideia de realizar algo por conta própria é o pallet, estrutura com ripas de madeira que formam um estrado. Os pallets são utilizados para criar jardins verticais, na criação de estruturas para sofás internos e externos e, até mesmo, para servirem como racks de apoio para salas de TV e quarto. Outro material semelhante é a chapa de MDF, muito utilizada na fabricação própria de peças e móveis. O benefício do MDF está no seu preço acessível e na versatilidade em cores e acabamentos, além da facilidade permitida em trabalhar com o material, sem que seja preciso de um grupo de ferramentas mais elaboradas. Uma boa dica para quem se interessa por decoração e construção é começar realizando obras pequenas e mais simples. Assim, o ganho de confiança e habilidade com ferramentas e materiais fará com que o próximo passo seja a realização de obras e reformas maiores. A Leroy Merlin não só proporciona uma infinidade de produtos para que você possa construir ou reformar sua casa. Além disso, proporciona a oportunidade para que você mesmo possa intervir no seu ambiente. Isso pode acontecer por motivações que vão desde o objetivo de economizar até o prazer em poder fazer parte de alguma mudança no seu próprio lar. Pintar, construir, reformar, e qualquer outra forma de trabalho semelhante podem ser atividades que criem meios de distração e relaxamento. A Leroy conta com materiais e ferramentas que vão te ajudar na hora de realizar um trabalho por conta própria. E os consultores de venda Leroy também podem oferecer dicas e sugestões das melhores opções para cada tipo de peça criada ou obra feita.
Os aglomerados ou as placas de madeira estão disponíveis em tamanhos grandes, mas por vezes é necessário juntá-los. Já que se unem perfeitamente entre si através de encaixes à máquina, existem várias opções por onde escolher. Os encaixes são muito usados na indústria do mobiliário para fabricar unidades de automontagem. São úteis para a mobília que precisa de ser montada facilmente.
Você vai cortar dois grandes pedaços da corda e dobrar cada um ao meio. É essa parte da dobra que você vai usar para fixar na argola. Eu já ensinei com detalhes a fazer esse tipo de nó nesse post aqui, pode dar uma olhada lá que o tutorial vai lhe ajudar. Depois de fazer esse nó na argola, você terá quatro pontas soltas da corda; passe cada uma por um dos buracos que você fez na tábua e dê um nó na parte de baixo. Prateleira pronta em pouco tempo!
El plano de casa que traigo hoy es un diseño bastante interesante. Tiene algunas cosas que le juegan en contra, pero varias otras que hacen que valga la pena verlo y tenerlo en cuenta si estamos pensando en construir una casa de dos dormitorios. A mi particularmente no me termina de gustar el hecho de … Sigue leyendo Plano de casa de un piso, dos dormitorios y 99 metros cuadrados
Todo mundo já viu que esse blog agora tem domínio próprio? Próximo passo: dominar o mundo. Hehehe. Falando no mundo, não sei na sua casa, mas na minha todo mundo se junta na cozinha. Com certeza é o melhor lugar da casa né? Mas a minha não é grande, então o povo acaba se esparramando e indo para na copa que é dividida apenas por uma bancada (tipo aquelas americanas). 

Mais uma vez apelei pra madeira. Gosto desse material porque, além de dar um clima mais acolhedor, fica diferente e fácil pra combinar. Usei pinus de novo por motivos óbvios ($$$) e pra combinar com o painel da sala. Como os dois cômodos meio que se integram, acho importante ter um elemento ou outro que combinem pra dar aquela liga. Pra fazer é moleza e você pode comprar as ripas e já pedir pro marceneiro camarada pra cortar no tamanho certo.


Desbaste primeiro a extremidade da madeira para se certificar de que está a 90 ou a 45°, se necessário. Marque o comprimento da tábua com um x-acto ou um lápis e corte-a com o tamanho certo usando uma serra de respigar. Coloque a tábua por cima das ripas, certificando-se de que a parte macho fica em posição de encaixar a tábua seguinte e, no caso da MFV, de que o lado com a chanfradura está para cima. Pregue as tábuas com pregos de painel. Repita este processo com as restantes tábuas, empurrando-as firmemente para o lugar com um maço e um pedaço da madeira para evitar danos antes de pregar. Deixe a penúltima tábua por cima da anterior, mas antes de pregar use um pedaço de madeira e um lápis para marcar a linha de corte na última tábua, se necessitar de ser aparada para encaixe. Corte e aplaine a tábua na largura. Pode precisar de colocar as duas últimas madeiras dando-lhes um toque para saltarem e encaixarem e, nesse caso, ambas terão de ser pregadas através da superfície, uma vez que não pode usar as partes macho. Martele as cabeças dos pregos e tape com massa de enchimento.


Tags: como decorar sua casa, como fazer, como reaproveitar palete, como usar sobras de madeira, cursos, decoração, decoração com palete, design com sobras de madeira, DIY, estante com sobra de madeira, faça você mesmo, madeira usada, marcenaria, mesa com sobra de madeira, móveis com palete, móveis com pinus, móvel fácil, móvel usado, oficina, Oficina de casa, palete, peças com retalhos de madeira, reaproveitamento de madeira, retalhos de madeira, sobras de madeira, sobras de palete
“Queremos saber quando foi feita pela Direção de Serviços de Museus e Património Cultural da direcção regional da cultura a última atualização dos planos de segurança, quais são as medidas de prevenção e gestão de riscos (incêndios, intempéries, entre outros) adotadas nos museus para salvaguarda dos seus bens e coleções, aferir que riscos estão identificados, quais são os planos que estão em vigor e o que prevêem, a data dos planos em vigor, bem como saber se foi dada formação aos funcionários e com que periodicidade”, esclarece.
×